FAQ:Nirvana(5)

Ir em baixo

FAQ:Nirvana(5) Empty FAQ:Nirvana(5)

Mensagem  PapaNJam em Qui Jul 03, 2008 12:36 pm

FAQ:Nirvana(5) Nirvan17A Teoria do Assassinato:
Este foi o comunicado feito pelo investigador particular de Courtney Love sobre a morte de Kurt:

"O Assassinato de Kurt Cobain"

Resolver um mistério nem sempre é a maior dificuldade do trabalho de um investigador, quebrar barreiras de comunicação entre um investigador particular e os detetives da polícia pode ser algumas vezes praticamente impossível. Num domingo, de abril de 1994, eu recebi uma ligação de Courtney Love para tentar localizar seu marido, Kurt Cobain. Até agora, eu havia me recusado a diulgar informações sobre a investigação a não ser alguns detalhes menores cedidos ao Seattle Times para a reportagem em 11 de Maio de 1994.

A fim de poupar espaço eu não vou repetir informações aqui, a não ser informar que desde a descoberta do corpo de Kurt, em 8 de Abril, minha investigação continuou em busca de solucionar os mistérios envolvendo sua morte. Durante a fase inicial desta investigação erros foram cometidos pela polícia e por mim. Isso ocorre em qualquer caso complexo.

Tentativas podem ser feitas para me desacreditar ou para tirar a atenção do que tenho a dizer. Se esta tentativa for feita por qualquer um envolvido neste caso, eu posso ser insultado ou desmentido, mas não importa quanto dinheiro ou influência vocês achem que têm, vocês estarão tentando matar abelhas com canhões.

Aqueles que trabalharam comigo nos últimos oito meses sabem o quão cuidadoso fui enquanto discutia estas teorias sobre detalhes específicos e eventos. Eu podia ter crenças fortes sobre algumas das coisas que eu percebia mas sempre classificava estas coisas como "não posso garantir" ou "apenas acho" ou "parece" ou "tenho quase certeza". Então quando eu dise que sabia que Kurt Cobain havia sido assasinado e disse que podia provar isso, quero que você entenda o que isso significa. Eu passei por uma porta que só abre em uma direção. Se eu tentar sair vou ficar preso. Não existe saída e vocês não vão me ver procurar uma.

Claro, Kurt falou sobre seus pensamentos suicidas nos anos passados. Sim, pode ter parecido para alguns que ele faria isso algum dia. Mas muitos na imprensa perceberam algo de errado. Eu tenho uma opinião, uma opinião bem fundamentada. Agora eu vou compartilhar as respostas para muitas de suas dúvidas. Aqui está o que vou falar a vocês agora: Kurt Cobain estava cansado. Estava cansado de tocar nas turnês, estava cansado de sua banda, queria sair do negócio que o pressionava a fazer música ao invés de apenas tocar. Mas ele não estava cansado da vida.

De acordo com os relatórios dos médicos legistas Kurt Cobain morreu em uma noite de domingo, dia 3 de abril, ou na manhã da segunda feira, 4 de abril. Embora ele tenha sido visto no parque local às 7h30 da manhã de domingo, todos que disseram tê-lo visto após este horário estão mentindo ou não existem. A maior parte das informações sobre estas testemunhas foram plantadas na imprensa. Pelo menos duas pessoas sabiam que Kurt estava morto quando fui enviado para Seattle para procurar por ele na quarta feira, dia 6 de abril.

Ao contrário dos relatórios policiais, a nota achada no local não era uma nota de suicídio. Não foi escrita para Courtney e Frances. Era uma longa e detalhada carta escrita para os fãs de Kurt, com uma breve nota de rodapé para Courtney e Frances. A carta explicava sua decisão de abandonar as turnês e parar de tocar com sua banda. Ele queria ser deixado sozinho e não queria que ninguém o seguisse, incluindo sua esposa. É este o conteúdo da carta, apenas este. O corpo da carta foi escrito por Kurt com excessão do seguinte trecho acrescentado ao final "será muito mais feliz sem mim. Eu amo vocês, eu amo vocês". Este trecho foi acrescentado por alguém sem o conhecimento de Kurt. Falarei mais sobre esta carta posteriormente.

Em um futuro próximo fornecerei à imprensa maiores detalhes sobre a morte de Cobain. Toda a informação sera prestada escrita. Não vou responder perguntas antes de ter tido tempo de contar a maior parte da história em sequência. A seguir estão alguns dos ítens sobre os quais vou falar: o cartão de crédito perdido, a competição em Seattle, minha busca pela casa de Cobain, meus encontros com a polícia, os relatórios da polícia, histórias falsas e manipulação da imprensa, fontes internas e externas, tentando conhecer Cobain, a identidade do assassino de Cobain, as provas e algo sobre Kristen Pfaff.

Foi uma longa e tediosa investigação. Também foram decisões delicadas, ficar em um lugar onde podia continuar recebendo informações enquanto ao mesmo tempo mantinha integridade para com um dos meus clientes. Mais será dito sobre isto uma outra hora.

Mantenha seus olhos, ouvidos e mente aberta. Isto não vai ficar por aí apenas como mais uma teoria de conspiração. O caso será provado e todos os envolvidos serão julgados.

Kurt Cobain era suicida? Talvez, mas muito próximos a ele, que realmente o conheciam, dizem que não na realidade. Kurt Cobain cometeria suicídio mais cedo ou mais tarde? Talvez, mas muitos dos que o conheciam afirmam que não desta forma, não sem se preocupar com sua filha Frances. Kurt Cobain se suicidou? NÃO. Não houve suicídio. Não foi suicídio.

Nota completa do suicídio de Kurt Cobain:
Atenção: Esta é a nota como apareceu na NME. A nota original esta nas mãos do departamento de polícia de Seattle. Duas cópias foram feitas, uma fornecida ao examinador médico e a segunda a Courtney Love. Foi a cópia de Courtney que apareceu na NME. Foi uma decisão difícil para mim colocar isto aqui, mas é uma das mais frequentes perguntas. Agradecimentos a Liz Ellison por esta!

To Boddah

Speaking from the tongue of an experienced simpleton who obviously would rather be an emasculated, infantile complain-ee. This note should be pretty easy to understand.

All the warnings from the punk rock 101 courses over the years, since my first introduction to the, shall we say, ethics involved with independence and the embracement of your community has proven to be very true. I haven't felt the excitement of listening to as well as creating music along with reading and writing for too many years now. I feel guilty beyond words about these things.

For example when we're backstage and the lights go out and the manic roar of the crowd begins, it doesn't affect me the way in which it did for Freddy Mercury, who seemed to love, relish in the love and adoration from the crowd, which is something I totally admire and envy. The fact is, I can't fool you, any one of you. It simply isn't fair to you or me. The worst crime I can think of would be to rip people off by faking it and pretending as if I'm having 100% fun.

Sometimes I feel as if I should have a punch-in time clock before I walk out on stage. I've tried everything within my power to appreciate it (and I do, God, believe me I do, but it's not enough). I appreciate the fact that I and we have affected and entertained a lot of people. I must be one of those narcissists who only appreciate things when they're gone. I'm too sensitive. I need to be slightly numb in order to regain the enthusiasm I once had as a child.

On our last 3 tours, I've had a much better appreciation for all the people I've known personally and as fans of our music, but I still can't get over the frustration, the guilt and empathy I have for everyone. There's good in all of us and I think I simply love people too much, so much that it makes me feel too fucking sad. The sad little, sensitive, unappreciative, Pisces, Jesus man! Why don't you just enjoy it? I don't know!

I have a goddess of a wife who sweats ambition and empathy and a daughter who reminds me too much of what I used to be, full of love and joy, kissing every person she meets because everyone is good and will do her no harm. And that terrifies me to the point to where I can barely function. I can't stand the thought of Frances becoming the miserable, self-destructive, death rocker that I've become.

I have it good, very good, and I'm grateful, but since the age of seven, I've become hateful towards all humans in general. Only because it seems so easy for people to get along and have empathy. Only because I love and feel sorry for people too much I guess.

Thank you all from the pit of my burning, nauseous stomach for your letters and concern during the past years. I'm too much of an erratic, moody, baby! I don't have the passion anymore, and so remember, it's better to burn out than to fade away. Peace, Love, Empathy. Kurt Cobain

Frances and Courtney, I'll be at your altar. Please keep going Courtney, for Frances. For her life, which will be so much happier without me.

I LOVE YOU, I LOVE YOU!

Tradução da Nota de Suicídio
Para Boddah

Falando pela boca de um cara tolo experiente que obviamente preferiria ser um cara com complexo de infantilidade. Esta nota deve ser muito fácil de entender.

Todos os avisos sobre as 101 maldições do punk rock atraves dos anos, desde a minha apresentação às, digamos, éticas envolvidas com independencia e engajamento de nossa comunidade se mostraram ser verdadeiras. Eu não tenho sentido a excitação de ouvir e criar música enquanto lia e escrevia durante vários anos. Me sinto culpado além das palavras sobre estas coisas.

Por exemplo, quando estamos atrás do palco e as luzes apagam e o urro da multidão começa, isto não me afeta mais da maneira que afetava Freddy Mercury, que parecia amar, viver pelo amor e adoração do público, que é algo que eu totalmente admiro e invejo. O fato é que não posso enganar vocês, nenhum de vocês. Simplesmente não é fácil para vocês nem para mim. O pior crime que poderia imaginar é enganar pessoas fingindo como se eu estivesse tendo 100% de diversão.

Algumas vezes sinto como se tivesse um despertador que me avisa antes de entrar no palco. Eu tentei todo o possível para apreciar isto (e eu tentei, Deus, acredite-me, eu tentei, mas não foi suficiente). Eu apreciei o fato de que eu e nós haviamos influenciado e divertido um monte de pessoas. Eu devo ser um desses narcisistas que apenas apreciam as coisas quando elas não existem mais. Eu sou muito sensitivo. Preciso estar um pouco anestesiado antes de retomar o entusiasmo que uma vez tive quando criança.

Em nossas 3 últimas turnês tenho tido uma apreciação muito melhor por todas as pessoas que conheci pessoalmente e com orfãs de nossas músicas mas ainda não consigo superar a frustração, a culpa e empatia que tenho por todos. Há bondade em todos nós e eu acho que simplesmente amo as pessoas demais, tanto que me faz sentir triste demais. O triste pequeno, sensitivo, desgostoso, Peixes, Jesus homem! Porque você não apenas não aproveita? Não sei!

Eu tenho uma deusa de esposa que transpira ambição e empatia e uma filha que me lembra muito do que fui, cheio de amor e carinho, beijando cada pessoa, como se todos fossem bons e jamais fossem fazer-lhe mal. E isso me aterroriza ao ponto de me deixar sem ação. Não posso suportar o pensamento de Frances se tornar o miserável e auto-destrutivo rock-star morto em que me tornei.

Eu tive coisas boas, muito boas, e eu sou grato, mas desde os sete anos fui tomado por um ódio contra todas as pessoas. Apenas porque parecia fácil demais para as pessoas se conhecerem e terem empatia. Apenas porque eu amava e me sentia culpado demais pelas pessoas, eu acho.

Obrigado a todos pela pena de minhas queimaduras, estômago nauseado, por suas cartas e compreeensão durante os últimos anos. Eu sou muito um errático, triste, bebê! Eu não tenho mais a paixão e então lembrem-se, é melhor queimar que se deixar apagar. Paz, amor, empatia. Kurt Cobain

Frances e Courtney, estarei em seu altar. Por favor continue, Courtney, por Frances. Por sua vida, que será muito mais feliz sem mim.

EU AMO VOCÊS, EU AMO VOCÊS!

Nota: No livro 'Cobain' é mencionado que Boddah era um dos amigos imaginários de Kurt durante a infância.

PapaNJam

Mensagens : 2854
Data de inscrição : 03/04/2008
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum